Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unesc.net/handle/1/6462
Título: Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC, como requisito parcial para a obtenção do título de Mestre em Educação
Autor(es): Buss, Beatriz
Orientador(es): Giacomazzo, Graziela Fátima
Palavras-chave: Educação inclusiva
Segundo professor
Ensino colaborativo
Professores de educação especial
Descrição: Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC, como requisito parcial para a obtenção do título de Mestre em Educação
Resumo: O estudo em apreço objetivou analisar a percepção dos segundos professores de turma sobre as interações e as relações pedagógicas que se estabelecem entre esse profissional e o professor titular na perspectiva do ensino colaborativo (coensino). Para tanto, apresentam-se os objetivos específicos: contextualizar o histórico da educação inclusiva no Brasil e Santa Catarina; compreender o conceito de Educação Inclusiva; realizar estudo teórico sobre o conceito de coensino; e analisar a função do segundo professor e suas atribuições de acordo com os documentos legais e as políticas de inclusão no Brasil. Dessa forma, a pesquisa exibe o histórico da educação inclusiva nacional e estadual, apresenta o profissional Segundo Professor de Turma, que surgiu legalmente a partir do ano de 2006, iniciando nas escolas no ano de 2007. A terminologia “Segundo professor de turma” expressa um profissional habilitado em educação especial, que atua juntamente com o professor regente nas turmas onde exista matrícula de educandos com deficiências. Apropriando-se dos estudos de Mendes, Vilaronga e Zerbato (2014) o coensino é definido como uma parceria entre os professores de ensino regular e especial, em que os dois se responsabilizam e compartilham o planejamento, a execução e a avaliação de um grupo heterogêneo de estudantes. Optou-se pela pesquisa de campo realizada com profissionais atuantes como segundo professores na região da 36ª gerência regional de Santa Catarina, os dados foram coletados por meio de uma entrevista semiestruturada, possibilitando o diálogo no momento da entrevista e uma autoavaliação. Diante dos dados foram organizados três Eixos estruturantes e uma categoria denominada Autoavaliação. A partir da análise percebemos a organização do sistema diante do contexto inclusivo e como ocorre o processo do coensino diante da percepção dos segundos professores, em relação aos seguintes elementos: tempo para a realização do planejamento compartilhado, suas implicações e organização do ensino; as interações entre escola, família e profissionais envolvidos; as possibilidades formativas do segundo professor; a frequência do coensino nas escolas da região e o posicionamento das segundas professoras pesquisadas. Foi possível compreender as possibilidades de interação oferecidas pelo coensino, entretanto há outros fatores que implicam para que os professores envolvidos na parceria alcancem o estágio de colaboração.
Idioma: Português (Brasil)
Tipo: Dissertação
Data da publicação: 2018
URI: http://repositorio.unesc.net/handle/1/6462
Aparece nas coleções:Dissertação (PPGE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Beatriz Buss.pdfDissertação1,74 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.