Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unesc.net/handle/1/6740
Título: Frequência de sintomas depressivos nos estudantes da área da saúde da Universidade do Extremo Sul Catarinense
Autor(es): Paulin, Carolina Policeno
Reis, Giovanna Amboni dos
Orientador(es): Moraes, Fábio Almeida
Palavras-chave: Depressão – Sintomas
Estudantes das áreas da saúde
Saúde mental
Psicoterapia
Descrição: Artigo apresentado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel, no Curso de Medicina, da Universidade do Extremo Sul Catarinense- UNESC.
Resumo: Objetivo: Avaliar a prevalência de sintomas depressivos nos acadêmicos dos cursos da área da saúde nos semestres do início, meio e fim da graduação. Métodos: Foram avaliados 353 alunos dos cursos da área da saúde distribuídos de forma proporcional ao número de alunos por curso. Para a análise da sintomatologia depressiva foi aplicado o “Inventário de Depressão de Beck” (IDB) juntamente com um questionário psicossocial analisados através do cruzamento de dados do SPSS. Os acadêmicos foram escolhidos de acordo com os números ímpares da folha de chamada, onde nos casos de ausência ou impossibilidade de responder, foi escolhido o número logo abaixo. Resultados: O IDB variou de 0 a 63. Sendo que 55,8% foram classificados como sem sintomatologia depressiva, 26,6% apresentavam sintomatologia leve/moderada, 13,6% moderada/grave e 4% severa. Ou seja, 44,4% dos acadêmicos da área da saúde apresentam algum grau de sintomas depressivos de acordo com o IDB. A análise de dados do IDB com o questionário psicossocial mostrou a prevalência dos sintomas depressivos maior em mulheres, independente do curso ou fase. Apresentou também associação de sintomas depressivos mais severos naqueles com baixa renda familiar. Conclusão: A frequência da sintomatologia depressiva durante os anos acadêmicos sugerem que esse transtorno não se limita a semestres específicos. O simples ingresso na faculdade se torna fator de risco para o desenvolvimento desses sintomas. De acordo com o IDB mostrou-se que o curso de Odontologia apresenta o maior número de alunos sem depressão. A Nutrição o maior número de estudantes com depressão leve/moderada. Biomedicina com depressão moderada/grave e a Enfermagem com depressão severa.
Idioma: Português (Brasil)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
Data da publicação: Dez-2018
URI: http://repositorio.unesc.net/handle/1/6740
Aparece nas coleções:Trabalho de Conclusão de Curso (MED)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Informação do texto competo - Medicina.pdfTCC4,48 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.