Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unesc.net/handle/1/2928
Título: Abelhas e suas plantas visitadas em uma área de restinga no Extremo Sul de Santa Catarina
Autor(es): Patricio, Robson Siqueira
Orientador(es): Harter-Marques, Birgit
Palavras-chave: Apifauna
Plantas melitófilas
Interação abelha-planta
Restinga
Mata Atlântica
Descrição: Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de bacharel no curso de Ciências Biológicas da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.
Resumo: Inventários biológicos são importantes ferramentas na obtenção de conhecimento sobre a biodiversidade de uma determinada região, auxiliando também no entendimento das alterações provenientes de processos antrópicos ou naturais. A polinização efetuada por abelhas é a mais relevante dentre as demais síndromes devido a dependência principalmente de pólen, como fonte de proteína para suas crias completarem o seu desenvolvimento. Com base na importância desses levantamentos, e sua escassez na região estudada, o seguinte estudo buscou levantar a comunidade de abelhas e suas plantas visitadas em uma área de restinga arbórea no município de Araranguá. O estudo foi realizado entre setembro/2012 a agosto/2013, em uma área de restinga arbórea localizada entre os limites dos municípios de Araranguá e Balneário Arroio do Silva, SC. A amostragem das abelhas nas flores ocorreu quinzenalmente, com auxílio de rede entomológica, das 8:00 até 16:00 horas ao longo de transectos preestabelecidos. As plantas melitófilas visitadas por abelhas foram acompanhadas durante o mesmo período e tiveram um ramo coletado para posterior identificação. Foram coletados 533 indivíduos de abelhas distribuídas em 37 espécies, 27 gêneros, 13 tribos e cinco subfamílias. As subfamílias Apinae e Halictinae apresentaram os maiores valores de maior riqueza e abundância, devido provavelmente a maior variedade morfológica, diferentes organizações sociais e hábitos generalistas de forrageio de suas espécies. Ao analisar os grupos funcionais da comunidade encontrada no presente estudo observou-se um número de interações importantes, como espécies de abelhas oligoléticas e suas plantas visitadas, e plantas com anteras poricidas e abelhas capazes de retirar o pólen de suas anteras através de vibração da musculatura alar. Em relação as famílias botânicas, Asteraceae foi considerada importante fonte de alimento por ter apresentado mais espécies visitadas por abelhas, e também porque em suas flores foi registrada a maior riqueza de visitantes em relação às demais famílias botânicas. A floração da comunidade de plantas visitadas por abelhas no ambiente de restinga arbórea ocorreu durante o ano todo, com um incremento no número de espécies em flor durante os meses mais quentes do ano, e um pico no mês de março. A baixa riqueza de abelhas encontrada no presente estudo provavelmente deve estar relacionada ao grau de fragmentação e isolamento da área. Apesar do baixo número de espécies de abelhas coletadas no presente estudo, foi observada uma quantidade considerável de espécies oligoléticas e suas plantas específicas, refletindo na importância da preservação desses serviços ecossistêmicos, e apontando para futuramente a implantação de uma Unidade de Conservação no local.
Idioma: pt_BR
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
Data do documento: 7-Jul-2015
Data do documento: 2015-07-07
URI: http://repositorio.unesc.net/handle/1/2928
Aparece nas coleções:Trabalho de Conclusão de Curso - TCC (CBI Bacharelado)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ROBSON SIQUEIRA PATRICIO.pdfTCC1,21 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.